728x90 AdSpace

Recentes

O estresse na vida cotidiana do missionário






DEFININDO O QUE É O ESTRESSE:-

Estresse – Tensão necessária para a produção de movimento, atividade e trabalho. Ele é benéfico e essencial para a sustentação da vida.

Estresse Prejudicial: há três tipos (over-stress)

1. Esforço além da capacidade de suportar

2. Estímulo contínuo desnecessário


3. Medo contínuo - Ansiedade

Quando pensamos em estresse normalmente só nos vem a mente crises estressantes. Uma notícia chocante (uma doença, uma tragédia), a morte de um ente querido, um desastre, divórcio, perder o emprego. Estas são sem dúvidas situações de muito estresse, mas elas não são as piores. São situações muito específicas, as identificamos facilmente, e normalmente de duração limitada. Nós finalmente conseguimos ajustar a nossa vida à nova situação.

Na verdade o estresse mais prejudicial é o estresse proveniente de um cotidiano sempre em agitação. Além das atividades estressantes ainda temos que enfrentar o trânsito desgastante, uma relação irritante com alguém do nosso relacionamento, a crise financeira em que vivemos, e a ameaça de doenças, guerras e impostos injustos. A nossa rotina diária é sempre de estresse contínuo e muitas vezes não percebido. Uma grande parte do nosso estresse nós até gostamos dele, como o desafio que enfrentamos nos estudos ou trabalho. Muitas pessoas se tornam viciados em seu próprio trabalho, além da recompensa financeira que nos é dado por estarmos sempre em alta produtividade.

A alimentação atual também é uma fonte contínua de estimulantes principalmente os refrigerantes (Coca-cola e guaraná, por exemplo).

O resultado deste estilo de vida é que o nosso organismo se torna dependente da adrenalina e dificilmente conseguimos entrar no estágio de relaxamento e recuperação. O nosso cérebro dispara o alarme diante de uma crise e logo produz vários hormônios para enfrentarmos a mesma. Depois que a crise, ou o excitamento, passa devemos passar para um estágio de normalização química.

Este estágio é normalmente acompanhado por uma sensação de falta de energia e um sentimento depressivo. É o meio que o corpo encontra para nos colocar em repouso a fim de recuperar a energia extra gasta anteriormente. Se o esforço extra causou alguma sobrecarga física, também iremos sentir dor neste estágio.  

Tanto o sentimento depressivo quanto a dor são sintomas saudáveis pois deveremos entrar em repouso e tratar do dano causado. Se o nosso estresse não é devido a uma crise maior, mas a uma rotina diária desgastante, quando entramos no estágio de recuperação logo nos sentimos mau e fazemos de tudo para sair dele. Logo vamos tomar um analgésico e procurar alguma atividade excitante que não nos deixe sentir a sensação depressiva. O resultado é que não descansamos para recuperar as forças, não tratamos os sintomas, nem damos tempo para os músculos recuperarem-se do dano causado por sobrecarga.

Quando mantemos uma rotina de vida sempre debaixo do estresse nos tornamos dependentes da adrenalina, de excitamento contínuo, perdemos a capacidade de reflexão e relaxamento, não tratamos da depressão, não confrontamos situações que trazem a depressão à tona (medos internalizados), e muitas vezes não cuidamos da saúde. Sofremos de estresse crônico.

SINTOMAS DA DEPENDÊNCIA DE ADRENALINA

1. Alguns sinais para indicar se somos pessoas que já desenvolvemos um estilo de vida que nos tornou dependentes da adrenalina:

2. uma compulsão forte de estar sempre fazendo alguma coisa, mesmo quando está em casa ou de férias;



 

 3. inquietude, não consegue relaxar, tiques nervosos, falta de concentração por muito tempo em um atividade relaxante, sentindo-se irritado e agressivo.

 

 4. estranhas sensações no corpo (como formigamento nos braços, no peito), ou dor estranha nas juntas e músculos

 

 5. distúrbio do aparelho digestivo: diarréia crônica, constipação, prisão de ventre, asia, úlceras, colite



6. insônia crônica, incluindo dificuldade de dormir ou acordando muito cedo e não conseguindo dormir novamente


Senso de justiça e retidão
      
Na realidade este é um sentimento dado por Deus e que deve nos levar a lutar contra a injustiça e promover a justiça de acordo com os princípios e a Palavra de Deus. Não podemos perder o mesmo. No entanto facilmente podemos passar de um estado de indignação para um estado de raiva (ira negativa) a qual Paulo condena logo adiante no mesmo capítulo "longe de vós toda ira." (4:31). A raiva está relacionada a um sentimento de justiça própria, feita de acordo com os meus próprios sentimentos e desejos e não de acordo com a Palavra, e um desejo de vingança.   

A bíblia condena a manifestação iracunda da raiva pois a justiça própria e a vingança pertence somente a Deus (Rom. 12:19). Se alimentarmos o nosso coração com a raiva logo iremos também desenvolver outros sentimentos ligados à mesma: ressentimento, amargura, ódio. Estes irão contribuir mais ainda para um estilo de vida estressante e dominado pela adrenalina.

Aprendendo a Relaxar
 
É necessário uma pessoa aprender a relaxar por duas razões. Em primeiro lugar o sistema nervoso só pode relaxar juntamente com o relaxamento da musculatura. Se você ficar com seus músculos tensos constantemente os seus nervos também estão em estado de tensão ao mesmo tempo. Quando a pessoa relaxa os músculos está também relaxando os nervos. Em segundo lugar o relaxamento é necessário para a recuperação da energia. Viver constantemente com um nível de adrenalina alto faz com que o organismo gaste muita energia e pode causar uma sensação de exaustão ou cansaço crônico. A pessoa então precisa relaxar para recuperar as energias gastas.


É preciso aprender a relaxar principalmente quando estiver com sensação depressiva, pois é sinal de que o corpo está tentando fazer com que a pessoa relaxe. Sempre que temos uma sensação depressiva logoprocuramos algo para fazer para sair deste estado. Mas na realidade a pessoa deveria descansar,mesmo que se sinta um pouco desconfortável com a sensação depressiva. Logo depois de recuperar a energia a sensação depressiva irá desaparecer.

Há muitas técnicas de relaxamento e cada um deve procurar relaxar dentro da sua própria situação. Alguns dicas podem ajudar bastante. Preste atenção a tensão muscular na sua rotina diária. Procure relaxar os músculos mesmo durante o período de trabalho. Procure sempre respirar mais profundo. Pare alguns minutos e respire mais fundo com o diafragma e não apenas com o peito. Preste atenção como você segura as coisas: caneta, direção, telefone. Se você sempre segura com muita força procure segurar de maneira mais relaxada. Se você fala muito depressa procure diminuir a velocidade da sua fala. Procure também pensar mais devagar.  


Todas estas características são sintomas de uma atitude permanente de tensão e quando você conscientemente procura combatê-la você vai se conscientizar deste estado e ao mesmo tempo lutar contra. Procure tirar durante o dia um tempo fixo de relaxamento. Sente ou deite num lugar confortável, livre de interrupção, tente não pensar nos problemas, respire devagar e profundamente e até pensar mais devagra e sobre coisas agradáveis. O descanso depois do almoço é muito apropriado para isto. Contudo não fique estressado para relaxar. No início pode parecer difícil mas depois torna-se mais fácil.

Outro fator muito importante para diminuir o ritmo da adrenalina é cortar todo estimulante da sua dieta, principalmente café e refrigerantes que contenham cafeína. No início a pessoa pode se sentir muito desanimado e ter dores de cabeça, mas depois seu sistema vai se normalizando e se adaptando a uma vida com menos adrenalina.


Exercícios Físicos

Exercícios físicos ajudam muito pois além de ajudar na queima da adrenalina ajuda na produção de alguns hormônios que nos dão a sensação de prazer. Fazer caminhada é um dos melhores exercícios, principalmente se feito com outra pessoa de companhia agradável. O exercício físico além de ajudar na queima da adrenalina nos ajuda a criar a sensação de poder estar fazendo alguma coisa para combater o problema. O corpo mais oxigenado trabalha melhor, a pessoa sente-se mais disposta, além de ajudar com a auto-estima. O exercício físico também ajuda no combate a outros males físicos, mantendo uma saúde geral melhor.

O Estresse Provocado por Mudança na Vida

Natureza do Acontecimento Pontos de Estresse Devido à Mudança
1. Morte do cônjuge 100
2. Divórcio 73
3. Morte de um membro próximo da família 63
4. Doença ou dano pessoal 53
5. Casamento 50
6. Mudança na saúde de um membro da família 44
7. Gravidez 40
8. Chegada de novos membros na família 39
9. Mudança no status financeiro 38
10. Mudança para uma linha de trabalho diferente 36
11. Mudança nas responsabilidades no trabalho 29
12. Mudança nas condições de vida 25
13. Mudança nas horas ou condições de trabalho 20
14. Mudança na residência 20
15. Mudança na recreação 19
16. Mudança nas atividades eclesiásticas 19
17. Mudança nas atividades sociais 18
18. Mudança no número de reuniões familiares 15
19. Mudança nos hábitos alimentares 15
20. Mudança climática 25


Adaptado de Misionews

  • Blogger Comentários
  • Facebook Comentários

0 comentários :

Item Reviewed: O estresse na vida cotidiana do missionário Rating: 5 Reviewed By: Pr. Antonio Romero Filho