728x90 AdSpace

Recentes

Porque ainda não alcançamos o Brasil e o Mundo para Cristo?




A grande negligência na evangelização dos últimos séculos resume-se em três palavras:    

 FALTA DE PAIXÃO - Temos pessoas para o trabalho (muita gente nas Igrejas e nos seminários), temos ferramentas (há dezenas de métodos), temos material para escolher (muita literatura); entretanto falta alguma coisa, isto é, o fogo santo que venha inflamar nosso povo e o ponha a arder para a glória de Deus- falta paixão por Jesus e pelas almas perdidas. Sem esta paixão não chegaremos a lugar algum; passaremos a vida marcando passo como tem acontecido até aqui.   

Podemos ilustrar com o ateu no incêndio da Igreja numa época em que não havia corpo de bombeiros. O templo pegou fogo e todos os membros foram ajudar a apagar o incêndio, e lá estava um ateu ajudando. Um conhecido brincou com ele, dizendo que era a primeira vez que o via na Igreja, e o ateu respondeu:

Também é a primeira vez que a Igreja pega fogo! Que pena que tantas Igrejas sejam frias a ponto de não atrair as pessoas. Quando pensamos em semear a palavra de Deus, nosso exemplo máximo é Jesus Cristo.

Ele deixou o céu e veio a este mundo, andando pelos caminhos e valados, aldeias e cidades, pregando a boa nova de salvação, curando os enfermos, alimentando os famintos, etc. Durante seu ministério fez discípulos e os ensinou pregar o evangelho, mostrou-lhes o mundo e suas necessidades, dizendo que os campos estavam brancos para a ceifa. Depois enviou-os de 2 a 2 e a experiência foi maravilhosa, voltaram dizendo que até os demônios lhes eram sujeitos.      

Na parábola do semeador ensinou-lhes que os corações não são todos iguais, alguns estão prontos, mas outros precisam de trabalho árduo, são insensíveis; outros tem pedras e espinhos, mas a semente deve ser semeada. A semente é a palavra de Deus.

O trabalho de evangelismo é um trabalho árduo, e precisa de pessoas apaixonadas. Depois de sua morte e ressurreição, Jesus apareceu aos seus discípulos lembrando a missão principal, e disse: “Portanto, ide e ensinai todas as nações batizando-os em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo; ensinando-os a observar todas as coisas que eu nos tenho mandando, e eis que estou convosco todos os dias e até a consumação dos séculos.” 

Antes de subir ao céu, Jesus convidou aquela pequena Igreja formada pelos discípulos, para que fossem à Galiléia, pois desejava encontrar-se com eles, para deixar sua última mensagem “Mas recebereis o poder do Espírito Santo que há de vir sobre vós e ser – me – eis testemunhas tanto em Jerusalém, como em toda Judéia, Samaria e até aos confins da terra” Atos 1:8. O trabalho iniciado pelo Mestre estava agora sob a responsabilidade daquela Igreja, e posteriormente a nós. Pregar o evangelho sempre foi e será a tarefa suprema da Igreja.   

Quando a Igreja perde esta visão, perde também sua finalidade neste mundo e pode fechar as portas de seus templos. Deus fala através de Sua Igreja, e é nossa a responsabilidade de pregar o evangelho. “Filho do homem, eu te dei por atalaia sobre a casa de Israel; da minha boca ouvirás a palavra, e os avisarás da minha parte. Quando eu disser ao perverso: Certamente morrerás; e tu não o avisares para o advertires de seu mau caminho, para lhe salvar a vida, esse perverso morrerá na sua iniqüidade, mas o seu sangue da tua mão o requererei.” Ez. 3:17,18.       

Por que não temos alcançado o mundo ainda? Por que o evangelho ainda não chegou a todos os povos?

Por que somos tão limitados? Porque pensamos só em nós mesmos, e não nas pessoas que se perdem. O trabalho que Jesus iniciou está agora em nossas mãos e somos responsáveis.


I - A vida espiritual da Igreja tem sido obstáculo para um evangelismo eficaz

A Igreja tem perdido muito de suas características primitivas; é certo que vivemos tempos diferentes daqueles e com problemas difíceis também, mas não há dúvida de que a Igreja está perdendo seu zelo pelo evangelho. Alguém afirmou: “No passado os crentes eram perseguidos por causa do evangelho, mas hoje, o evangelho é perseguido por causa dos crentes”. Para que haja um evangelismo eficaz a Igreja precisa ter vida espiritual e moral também.

A Igreja precisa voltar às suas atividades principais O cuidado com a vida espiritual, vida devocional sem interrupção; a responsabilidade pessoal com os perdidos, oração e testemunho; o discipulado dos membros da Igreja e o aproveitamento dos leigos na obra de missões. O maior erro das últimas décadas foi o envio de missionários que não deram ênfase nestas três áreas, e por isso as Igrejas que surgiram sempre precisaram de ajuda de fora e quando estes falharam as Igrejas acabaram ou estão a passo de tartaruga até hoje.   
      
Qual tem sido o programa de Oração da maioria das Igrejas? Muitos crentes não acreditam no poder de Deus e por isso não oram. Como tem sido o trabalho de evangelismo das Igrejas? Quem está fazendo este trabalho? Poucas pessoas estão de fato envolvidas nessa obra. Como está sendo feito o discipulado? Qual o material usado? (A JMN tem um programa de discipulado Sistemático com ótimo currículo). Grande parte dos membros de nossas Igrejas não é discípulo de Jesus.

Gostaria de destacar três dos mais graves problemas da Igreja hoje:

1 - CULTOS FORMAIS E FRIOS - Há muita gente pensando que Deus precisa de cultos, por isso tanto faz ir ao culto como ir à praia, ou ficar em casa. Este mal reflete na sociedade. Onde há uma Igreja viva, que canta com entusiasmo, que ora, que testemunha de Jesus, o povo se converte. Quando falo que Igreja viva, não estou falando de Igreja barulhenta, mas de Igreja que trabalha, de Igreja que ama o Senhor Jesus e acompanhado da obediência à Palavra de Deus. O culto que prestamos é de acordo com a visão que temos de Deus. Deus não precisa de shows, mas corações contritos, quebrantados, humildes, dispostos a obedecer. 
                                                                                                                                                                  2. IMATURIDADE RELIGIOSA -  Este é outro problema sério nas Igrejas. A Igreja precisa crescer, mas a história comprova que nem todos que professam a fé alcançam maturidade religiosa. Poucos podem dizer como Paulo: “Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino”. Quais são as coisas de menino que existe nas Igrejas?

Ressentimentos, desentendimentos, intrigas, desvios doutrinários, murmuração, etc. Grande parte das Igrejas hoje e até lideres têm esses problemas, porque nunca levaram a sério o estudo da palavra de Deus. São crentes com 10, 20, 30 anos mas não têm segurança doutrinária; e quantas divisões nas Igrejas por causa da imaturidade religiosa. Quanta heresia existe sobre o Espírito Santo? Há necessidade de um estudo mais sério da palavra de Deus.

O escritor da carta aos Hebreus estava preocupado com essa falta de crescimento espiritual e escreveu dizendo “Porque pelo tempo já devíeis ser mestres, mas ainda necessitais de que se vos torne a ensinar quais sejam os primeiros rudimentos de Cristo.” Isso é imaturidade! Pelo tempo de vida cristã deviam ser mestres, estar ensinando outros, mas ainda precisam aprender os primeiros rudimentos, o ABC da vida cristã. Dr R. A. Torrey disse: “99% dos crentes estão apenas brincando de estudar a Bíblia, por isso 99% são anões espirituais, quando poderiam ser gigantes, tanto na vida quanto no serviço”.

3. NEGLIGÊNCIA NA CAUSA -  Jesus entregou a bandeira do evangelho aos apóstolos e à Igreja primitiva e eles cumpriram a missão, evangelizaram o mundo daquela época; agora está em nossas mãos e a ordem é ir e pregar. Foi com derramamento de sangue que o evangelho chegou até nós, mas temos negligenciado.  

Cometemos o pecado de achar que estamos fazendo muito, mas estamos perdendo campo para as religiões de satanás, que crescem assustadoramente em nosso país. Temos que admitir que não estamos conseguindo fazer com que o evangelho, poder de Deus, penetre nos corações das massas deste mundo.

Precisamos acordar, as portas estão abertas como nunca estiveram, é necessário que espalhemos a divina semente do evangelho em todos os lugares de nosso país. Se cada crente ganhasse uma alma por ano, em apenas 33 anos o mundo seria alcançado. Mas há crentes que nunca ganharam uma alma para Jesus.

II - Para que haja avanço evangelístico/missionário é necessário um grande avivamento

Há um vácuo no coração do povo, milhões estão com fome e sede das sagradas escrituras, nunca o povo esteve com tanta vontade de ouvir como agora. O homem foi feito para adorar a Deus, mas quando não é orientado, começa a servir aos demônios. Substitui Deus pela idolatria, pelo dinheiro, pela droga, pelo sexo, etc. E nós somos responsáveis por isso, mesmo estando alheios ao que acontece ao nosso redor. Precisamos de um avivamento espiritual para evangelização de nosso país; e o trabalho de evangelismo é uma característica de avivamento.

Todos os avivamentos Bíblicos e históricos tiveram como característica principal o trabalho de evangelismo.

 Toda Igreja estava envolvida com o testemunho pessoal todos os dias, no templo e nas casas. Conta-se que na Europa, quando alguém morre; a casa funerária submete o cadáver a um tratamento todo especial. Embalsama, perfuma, faz maquiagem, veste roupas lindas, coloca flores e música; leva de dois a quatro dias para o sepultamento.

Aqueles homens trabalham tão bem que o defunto fica mais bonito do que quando estava vivo. Por mais que o adornem a realidade é que ele está morto. Muitas vezes fazemos assim com a Igreja, tentamos tudo para maquiar a noiva de Cristo: pintamos o templo, colocamos flores, bancos novos, órgão, piano, bateria, guitarra, um som espetacular, mas na realidade a Igreja está morta. Em matéria de evangelismo e missões não faz nada; não há amor pelos perdidos; na verdade não há amor a Jesus! Não adianta barulho sem trabalho.      

Não podemos substituir a evangelização por eventos, programas, shows, etc. Precisamos sim, repetir com sinceridade a oração de Habacuque: “Ouvi, Senhor a tua palavra e temi; aviva oh Senhor a tua obra no meio dos anos; no meio dos anos a notifica”. Hab.3:2. Mas para que aconteça um avivamento espiritual precisamos dobrar nossos joelhos e clamar ao Senhor para que nos dê uma vida de justiça; de intensa busca ao Senhor e abandono de todo pecado. Deus espera que haja em nós um avivamento! Deseja nos avivar!

III - Para que haja avanço evangelístico precisamos sentir angústia pelas almas

Como não é possível uma criança vir ao mundo por parto natural sem que a mãe sinta as dores, assim é também no reino espiritual. Muitos de nós esperamos o que não é possível; para que nasçam filhos espirituais precisamos pagar o preço. Não temos sofrido para ganhar almas! Não lutamos para conquistar o mundo para Jesus! Como são nossas orações em favor dos perdidos?  

Nós precisamos despertar para oração. É necessário que cada crente seja um intercessor. Tudo fazemos por uma criança que está prestes a se asfixiar e nada por uma alma que se perde…Não é difícil chorar quando vemos um parente que vai embora para um lugar distante, nesse caso a nossa angústia é espontânea….não é difícil a agonia se apoderar de nós ao contemplar num caixão um amigo querido, nesses casos as lágrimas são as coisas mais naturais do mundo! No entanto, sabemos e compreendemos que almas eternas e preciosas estão perecendo ao nosso redor, estão no caminho da separação eterna, perdidas para sempre, mas não sentimos angústia, não derramamos lágrimas…   

Como é pouco o que conhecemos da compaixão de Jesus? Ele chorou muitas vezes pelas almas dos homens, em oração por elas. As pessoas que mais fizeram por SEU povo, foram pessoas que intercederam, choraram, jejuaram e testemunharam: a)- Moisés – Êxodo 32:30-32- “No dia seguinte, disse Moisés ao povo: Vós cometestes grande pecado; agora, pois, subirei ao Senhor e, porventura, farei propiciação pelo vosso pecado.

Se queremos salvar nosso país e o mundo,  precisamos de igual modo ser apaixonados pelas almas.

 Quantos de nós podemos estar contentes neste momento, por gastar meia hora de Oração por dia em favor dos perdidos?

Como são poucos os que encontram tempo para orar. Há tempo para tudo: há tempo para dormir, há tempo para ver TV, há tempo para esportes, há tempo para visitas a amigos e parentes—só não há tempo para oração – a mais importante de todas as coisas. Por isso o apelo do profeta Joel se faz necessário hoje:

 “Cingi-vos de pano e saco e lamentai, sacerdotes; uivai, ministros do altar; vinde ministros de Deus….promulgai um santo jejum, convocai uma assembléia solene, congregai os anciãos, todos os moradores desta terra, para a casa do Senhor vosso Deus, e ORAI AO SENHOR.” Joel 1:13-14.

Quem ama ora e quem ora testemunha de Jesus. Evangelismo é uma obra de amor. Queremos fazer a obra, mas como são poucos os recursos que temos para esse fim? Entregamos muito pouco de nossa vida, tempo e dinheiro para missões. Se queremos alcançar o mundo precisamos semear com abundância, dar com abundância e fazer alvos de sacrifício em favor da causa.

Conclusão

Cada crente deve ser um discípulo de Jesus Cristo e cumprir seu papel na evangelização do mundo. Não estamos aqui por acaso, mas nossa missão é de atalaias.

Precisamos avisar o mundo acerca de seu caminho ímpio. No mundo antigo o atalaia que falhasse em sua missão pagaria com a própria vida. Assim, o sangue de muitos será requerido de nossas mãos.

Que Deus nos ajude!

Fonte: Adaptado: Sermões online
  • Blogger Comentários
  • Facebook Comentários

1 comentários :

Item Reviewed: Porque ainda não alcançamos o Brasil e o Mundo para Cristo? Rating: 5 Reviewed By: Pr. Antonio Romero Filho