728x90 AdSpace

Recentes

Em 2009, 43 milhões de pessoas foram forçadas a deixarem seus lares!






Um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) divulgado no início do mês de julho contabilizou que ao final de 2009, o número de pessoas forçadas a se deslocar por causa de conflitos e perseguições totalizou 43,3 milhões em todo o mundo, a maior cifra de deslocamentos forçados por estes motivos desde a metade dos anos 90. O relatório chamado  “Tendências Globais 2009”, foi divulgado pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR).

Outro dado alarmante é que o número de refugiados repatriados voluntariamente para seus países de origem caiu ao nível mais baixo em 20 anos, ou seja, as pessoas estão deixando seus lares e não estão retornando.

Produzido anualmente pelo ACNUR, o documento indica que o número médio de refugiados no mundo permanece relativamente estável (15,2 milhões), sendo dois terços sob os cuidados do ACNUR e o restante sob o mandato da UNRWA (agência da ONU que se dedica exclusivamente a refugiados palestinos). Por causa da crescente persistência dos conflitos, mais da metade dos refugiados sob os cuidados do ACNUR estão em situações de refúgio prolongado - há mais de cinco anos no exílio.

“Conflitos importantes, como no Afeganistão, na Somália e na República Democrática do Congo não mostram sinais de solução”, disse hoje o Alto Comissário da ONU para Refugiados, António Guterres. “Conflitos que pareciam estar terminando ou em vias de serem solucionados, como no sul do Sudão ou no Iraque, estão estagnados. Como resultado, 2009 foi o pior ano, em duas décadas, para a repatriação voluntária”.

O relatório do ACNUR mostra que apenas 251 mil refugiados retornaram para casa em 2009 - o menor número desde 1990. Nos últimos dez anos, os retornos voluntários chegavam a cerca de 01 milhão, por ano.

“A maioria dos refugiados do mundo tem vivido no exílio há cinco anos ou mais. Inevitavelmente, esta proporção crescerá, uma vez que menos refugiados têm condições de retornar para casa”, adicionou Guterres, referindo-se aos mais de 5,5 milhões de refugiados sob o mandato do ACNUR que em situações prolongadas de refúgio.

O número de pessoas deslocadas por conflitos em seus próprios países (os chamados deslocados internos) cresceu 4%, chegando a 27,1 milhões ao final de 2009. Os persistentes conflitos na República Democrática do Congo (RDC), Paquistão e Somália explicam esta realidade, de acordo com o relatório Tendências Globais 2009.

O documento também revela que um número cada vez maior de refugiados está vivendo em cidades, principalmente no mundo em desenvolvimento, o que contrasta com a percepção comum de que estas pessoas estariam inundando as nações industrializadas.

O número de novos solicitantes de refúgio no mundo chegou a quase 01 milhão, sendo que a África do Sul é o hoje o principal destino de solicitantes de refúgio no mundo - cerca de 220 mil novos pedidos no ano passado.

O relatório Tendências Globais 2009, que revisa tendências e padrões de deslocamentos relacionados a conflitos, também analisa as pessoas apátridas e revela que o número de pessoas reconhecidas nesta situação ao final de 2009 era de 6,6 milhões - embora cifras extra-oficiais estimem uma população de apátridas de até 12 milhões de pessoas.

O ACNUR protege, assiste e busca soluções para os refugiados. A persistência de conflitos torna mais difícil o retorno voluntário aos países de origem, o que geralmente é a situação preferida para países de refúgio e refugiados.

Em relação ao reassentamento - que transfere refugiados de um país e os realoca permanentemente em outro - o ACNUR submeteu um número recorde de pedidos o ano passado (128 mil indivíduos), o maior nos últimos 16 anos.

Ao final de 2009, 112.400 refugiados haviam sido recebidos por programas de reassentamento em 19 países.

Fonte: Sepal
  • Blogger Comentários
  • Facebook Comentários

0 comentários :

Item Reviewed: Em 2009, 43 milhões de pessoas foram forçadas a deixarem seus lares! Rating: 5 Reviewed By: Pr. Antonio Romero Filho