728x90 AdSpace

Recentes

Como funciona o sistema imunológico do templo do Espírito Santo


Sistema imunológico
Dentro do nosso corpo há um impressionante mecanismo de proteção, chamado sistema imunológico. Ele foi elaborado para defendê-lo de milhões de bactérias, micróbios, vírus, toxinas e parasitas que adorariam invadir nosso corpo.

Para compreender o poder do sistema imunológico, tudo o que você precisa fazer é olhar o que acontece quando qualquer coisa morre. Isso pode parecer grosseiro, mas mostra algo muito importante sobre o seu sistema imunológico.

Quando alguma coisa morre, nosso sistema imunológico (junto com todo o resto) é desativado. Em uma questão de horas, o corpo é invadido por todo tipo de bactérias, micróbios, parasitas... Nenhuma dessas coisas é capaz de entrar quando o sistema imunológico está funcionando, mas no momento em que ele pára a porta fica escancarada.    
                                                                                                                                        
Quando morremos, leva apenas algumas semanas para que esses organismos destruam completamente nosso corpo e o levem embora, ficando apenas o esqueleto. Obviamente, o sistema imunológico está fazendo algo impressionante para impedir que toda essa destruição aconteça - enquanto estamos vivos.

Componentes do sistema imunológico

Uma das coisas engraçadas sobre o sistema imunológico é que ele passa a vida inteira trabalhando, porém, pouco sabemos a seu respeito. Dentro do seu tórax existe um órgão chamado "coração". Quem não sabe que tem um coração? Também temos pulmões, um fígado e rins. Mas, você já ouviu alguma vez falar sobre o timo? Há uma boa chance de você nem mesmo saber que tem um timo, e contudo, ele está aí dentro do seu tórax, perto do coração. Existem outras partes do sistema imunológico que são igualmente obscuras, portanto, vamos começar aprendendo sobre cada uma delas.

A parte mais óbvia do sistema imunológico é a que você pode ver. Por exemplo, a pele é uma parte importante do sistema imunológico. Age como fronteira primária entre os germes e o seu corpo. Uma parte da função da sua pele é agir como barreira, de um modo bem parecido com a maneira que envolvemos a comida com plástico para protegê-la. A pele é resistente e, geralmente, impermeável a bactérias e vírus. A epiderme contém células especiais chamadas de células de Langerhans (misturadas com os melanócitos na camada basal) que são componentes importantes para alertar o sistema imunológico. A pele também secreta substâncias antibacterianas. Essas substâncias explicam o porquê você não acorda de manhã com uma camada de fungo sobre a pele: a maioria das bactérias e esporos que aterrisam ali morrem rapidamente.

O nariz, a boca e os olhos são também pontos de entrada óbvios para os germes. As lágrimas e o muco contêm uma enzima (lisozima) que destrói a parede celular de muitas bactérias. A saliva também é antibacteriana. Como as vias nasais e os pulmões são revestidos de muco, muitos germes que não são mortos imediatamente ficam presos no muco e logo são engolidos. Os mastócitos também cobrem as vias nasais, garganta, pulmões e pele. Qualquer bactéria ou vírus que queira entrar no seu corpo precisa primeiro passar por essas defesas.

Timo

O timo fica dentro do seu tórax, entre o esterno e o coração. É responsável pela produção de células T (veja a próxima seção) e é extremamente importante para os recém-nascidos - sem o timo o sistema imunológico entra em colapso e o bebê morre. O timo é menos importante para os adultos - se for preciso removê-lo o adulto sobreviverá porque outras partes do sistema imunológico conseguem lidar com a sobrecarga. Contudo, o timo é importante para a maturação das células T (como veremos na seção sobre as células sangüíneas brancas).

Baço

O baço filtra o sangue em busca de células estranhas (procura também células vermelhas velhas que precisam ser substituídas). Uma pessoa que perde o baço fica doente com mais freqüência.

Medula óssea

A medula óssea produz novas células sangüíneas, tanto vermelhas quanto brancas. As células vermelhas são formadas na medula e depois entram na corrente sangüínea. As células brancas amadurecem em algum outro lugar. A medula produz todas as células sangüíneas a partir de células tronco. São chamadas de "células tronco" porque podem transformar-se em tipos específicos de células sangüíneas - são precursoras de diferentes tipos de células.

Anticorpos

Os anticorpos (também chamados de imunoglobulinas e gamaglobulinas) são produzidos pelas células brancas. Eles são proteínas em forma de Y e cada um responde a um antígeno específico (bactéria, vírus ou toxina). Cada anticorpo tem uma região especial (nas pontas dos dois ramos do Y) que é sensível a um antígeno específico e se liga a ele de alguma maneira. Quando um anticorpo se liga a uma toxina, passa a chamar-se antitoxina. A ligação inibe, normalmente, a ação química da toxina. Quando um anticorpo se liga ao revestimento externo de uma partícula de vírus ou à parede celular de uma bactéria, interrompe sua ação ou pode se ligar ao invasor e sinalizar para o sistema complemento que tal invasor precisa ser removido.

Sistema complemento

O sistema complemento, assim como os anticorpos, são uma série de proteínas. Há milhões de anticorpos diferentes na sua corrente sanguínea, cada um sensível a um antígeno específico. As proteínas no sistema complemento circulam livremente no sangue e são fabricados no fígado. As proteínas deste sistema são ativadas pelos anticorpos e trabalham com eles (os complementam), por isso o nome. Elas causam a lise (destruição) das células e sinalizam para os fagócitos que uma célula precisa ser removida.

Hormônios

Existem vários hormônios gerados pelos componentes do sistema imunológico. Esses hormônios são conhecidos como linfocinas. Sabe-se também que certos hormônios do corpo causam a supressão do sistema imunológico. Os esteróides e corticosteróides suprimem o sistema imunológico.

A timosina (produzida pelo timo) é um hormônio que encoraja a produção de linfócitos (um linfócito é um tipo de célula sangüínea branca - veja abaixo). As interleucinas são outro tipo de hormônio gerado pelas células brancas. Por exemplo, a interleucina-1 é produzida por macrófagos depois que eles fagocitam e digerem uma célula estranha. A IL-1 tem um efeito colateral interessante - quando atinge o hipotálamo ela produz febre e fadiga. Sabe-se, também, que a temperatura elevada na febre mata algumas bactérias.

Fator de necrose tumoral

O fator de necrose tumoral (FNT) é produzido pelos macrófagos. Ele destrói células tumorais e cria novos vasos sangüíneos sendo, assim, importante para a cicatrização.

Interferon

O interferon inibe os vírus e é produzido pela maioria das células do corpo. Os interferons, assim como os anticorpos e complementos, são proteínas, e sua tarefa é deixar que as células se comuniquem umas com as outras. Quando uma célula detecta o interferon em outras células, ela produz proteínas que ajudam a impedir que o vírus se reproduza.

Células sangüíneas brancas

Você sabe que existem "células vermelhas" e "células brancas" no sangue. As células sangüíneas são, na verdade, várias células diferentes que trabalham juntas para destruir bactérias e vírus e, por este motivo, são muito importantes para o sistema imunológico. Aqui estão todos os tipos, nomes e classificações das células brancas que estão trabalhando dentro do seu corpo neste momento:
 
Leucócitos

Todas as células sangüíneas brancas são conhecidas oficialmente como leucócitos. Elas não são como as células normais do corpo. Na verdade, agem como organismos vivos independentes e unicelulares capazes de se moverem e capturarem coisas por conta própria. As células brancas se comportam, de certo modo, como amebas em seus movimentos e são capazes de absorver outras células e bactérias. Algumas delas não podem se dividir e reproduzir por conta própria, porém, são produzidas pela medula óssea.

[ "Antes, os membros do corpo que parecem ser os mais fracos são necessários. E os que reputamos serem menos honrosos no corpo, a esses honramos muitos mais; e aos que são menos decorosos damos mais honra. Para que não haja divisão no corpo, mas, antes, tenham os membros igual cuidado uns dos outros.  (1 Co 12.22,23,25).]

Traduzido por HowStuffWorks Brasil
  • Blogger Comentários
  • Facebook Comentários

0 comentários :

Item Reviewed: Como funciona o sistema imunológico do templo do Espírito Santo Rating: 5 Reviewed By: Pr. Antonio Romero Filho