728x90 AdSpace

Recentes

Tempos de Avivamento!!!

D.L. Moody disse certa vez: -
"Se Deus é o vosso sócio, fazei grandes planos".
 Muitos cristãos sinceros estão perguntando: "Não é este o dia da grande apostasia? É da vontade de Deus salvar almas em grande número? Pois a maior evidência de um avivamento é a salvação de almas em abundância.

Os avivamentos da história da Igreja aconteceram em tempos de crise, apostasia, esfriamento espiritual e podemos deduzir muito bem das condições existentes em toda parte que esta é uma época própria para um outro avivamento. A Bíblia diz: "onde o pecado abundou, superabundou a graça de Deus (Rm 5.20).

A Igreja atual deve seguir o exemplo da Igreja primitiva:

1. Permanecendo...até que do alto seja revestida.
2. Prevalecendo...em oração para que Deus opere.
3. Promulgando...o Evangelho através do testemunho.
4. Praticando...pela abnegação e por dádivas.
5. Perseverando...em santidade e zêlo.
6. Produzindo...pela cooperação mútua.
7. Predominando... pela persistência através de provações e obstáculos.

Que ninguém ouse dizer que um avivamento é impossível em nossos dias e é bom que cada um pergunte-se a si mesmo:

Sou assíduo ou sempre ausente?
Sou uma coluna ou um que dorme?
Sou um poder ou um problema?
Sou um promovedor ou provocador?
Sou um doador ou um recebedor?
Sou um trabalhador ou dou muito trabalho?
Sou um animador ou bajulador?
Sou um provedor de paz ou provocador de lutas?
Sou um sustentador ou um parasita?
Sou um santo ou um mundano?
Sou de oração ou uma oposição?

Toda época de benção começa com uma Igreja sobre os joelhos, ou ainda melhor, com a fronte prostrada diante do assento da misericórdia. Humilhar-nos-emos, então, desse modo ante os Seus pés e como um povo, esperemos em Deus com profunda humildade, sincero arrependimento e oração perseverante... e então virá do alto chuva abundante do Espírito Santo.

Que o Senhor tenha misericórdia de nós!


  • Blogger Comentários
  • Facebook Comentários

0 comentários :

Item Reviewed: Tempos de Avivamento!!! Rating: 5 Reviewed By: Pr. Antonio Romero Filho